Sejam Bem-Vindos!

Há escolas que são gaiolas e há escolas que são asas.

Escolas que são gaiolas existem para que os pássaros desaprendam a arte do vôo. Pássaros engaiolados são pássaros sob controle. Engaiolados, o seu dono pode levá-los para onde quiser. Pássaros engaiolados sempre têm um dono. Deixaram de ser pássaros. Porque a essência dos pássaros é o vôo.

Escolas que são asas não amam pássaros engaiolados. O que elas amam são pássaros em vôo. Existem para dar aos pássaros coragem para voar. Ensinar o vôo, isso elas não podem fazer, porque o vôo já nasce dentro dos pássaros. O vôo não pode ser ensinado. Só pode ser encorajado.
(Rubem Alves)

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

TRIBUTO AFRO



Em 2003, a lei nº 10.639/03, tornou obrigatório o ensino da História e da Cultura Afro-Brasileira em todas as escolas de ensino fundamental e médio do país. A imposição se aplica a instituições públicas e privadas. A partir da sanção dessa lei, as escolas brasileiras passaram a ter que implementar o ensino da cultura africana, da luta do povo negro no país e de toda a história afro-brasileira nas áreas social, econômica e política. O conteúdo deve ser ministrado transversalmente, em todo o currículo escolar, com ênfase nas áreas de História Brasileira, Educação Artística e Literatura. "Essa lei é uma reivindicação muito antiga e altera a Lei de Diretrizes e Bases", afirma Roseli Fischmann, coordenadora do grupo responsável pelo documento sobre Pluralidade Cultural dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN), professora da USP e da Universidade Metodista de São Paulo. "A legislação faz justiça à contribuição que esse grupo esquecido, mas importante, deu ao país", explica ela, que também é expert da Unesco para a Coalizão Internacional de Cidades contra o Racismo e a Discriminação. Segundo Roseli, a lei é um passo importante para o reconhecimento presença histórica dos negros no Brasil e no combate ao racismo. "Uma das formas de discriminar um grupo é silenciá-lo, tornando-o invisível. Isso aumenta o desconhecimento e estimula o preconceito e ignorância".

"Enchei-se de liberdade, o Povo Negro pede igualdade, deixando de lado as separações..."
O "CEAM" realizou, junto com os alunos, atividades artísticas em homenagem a personalidades negras do nosso país.

I Tributo Afro CEAM/13


Alunos e professores se organizam e fazem a ornamentação do pátio da escola.
Alunos se organizam para assistirem atividades culturais
Vanessa Guimarães aluna do 2ºA matutino declama poesia
Bárbara Mercês aluna do 3ºB vespertino declama poesia
Geovana aluna do 2ºB matutino declama poesia
Alunos do 2ºB matutino declamam poesia
Alunos 3º A matutino coreografia "tributo música pérola negra"
Alunos 1º D vespertino homenageiam  Luis Gonzaga
Coreografia 1º CV vespertino - Tributo a Leo Santana
Aluno 3º D noturno apresentador da noite cultural

Aluno 3ºB vespertino declama poesia de autoria própria em homenagem ao povo africano.
Aluno 3ºD noturno declama poesia de autoria própria em homenagem ao povo africano.
Grupo de capoeira com alunos do 3º A matutino e 8ªA matutino

Grupo de Samba de Roda de João de Sabino
Apresentação Especial
 2º A matutino Tributo a Tim Maia
 3ºN noturno Teatro sobre heranças africanas

 Tributo Rei Pelé -1º G noturno
 EJA I - heranças africanas na culinária

Nenhum comentário:

Postar um comentário